Archive for the Brasileiros Category

Vale dos Vinhedos: a paz tem cor e não é a branca

Posted in Brasileiros on 09/11/2011 by André Muricy

O silêncio e a paz são substantivos abstratos, mas se a gente pudesse enxergá-los, eles certamente seriam verdes. Não a cor da esperança, mas da prazerosa realidade de tomar um bom vinho rodeado das mais diversas variedades de uvas. Tantas, que se perdem no breve horizonte das serras gaúchas.

Homem cuida de plantação de uvas ao entardecer

Assim me pareceu o Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul. Um lugar bonito, de temperatura agradável e cheio de vinícolas, o que proporciona a rara oportunidade de provarmos vários vinhos diferentes e de tentar aprender e sentir cada peculiaridade.

Sede da Miolo em Bento Gonçalves, RS

A Miolo, instalada na região, é uma empresa moderna que produz rótulos variados. Apesar da tradição de mais de 100 anos cultivando uvas, foi só a partir de 1990 que a empresa iniciou a comercializar sua própria bebida. É tudo muito limpo e organizado. Até demais da conta. A ausência de um charme tradicional e o chão de cimento perfeitamente batido causam certa frieza no ambiente.

Espumante Millésime descansa antes de receber o rótulo

Garrafas do Millésime chamam a atenção pela forma

Mesmo assim, é da Miolo que vem o Millésime. Um espumante brut, com um sabor precioso e uma garrafa elegante. Ao preço de R$ 55,00 e com 12,5% de álcool, ele é uma excelente mistura das castas Pinot Noir e Chardonnay.

Millésime é um delicioso espumante brasileiro

Barris com vinho descansam em chão de cimento batido

Sala de degustação da Miolo é um convite à diversidade

Outra vinícola bem interessante foi a Lidio Carraro Boutique. Ela apresenta o vinho como um elemento especial e não utiliza barris de carvalho, o que deixa a bebida sem nenhum gosto amargo ou forte. Um aspecto de destaque é que eles não colocam nenhum aditivo para que o líquido chegue ao sabor ideal. Eles dependem exclusivamente as condições do solo e do clima. Quando as uvas não alcançam o nível de qualidade desejado numa safra, a Lidio Carraro simplesmente não engarrafa. Isso é personalidade e realça o valor dos vinhos brasileiros. Uma boa demonstração desse cuidado é o tinto Agnus, feito com uvas Cabernet Sauvignon. Com 13% de teor alcoólico, ele custa R$ 35,00 e desce macio, pleno em cada gole.

O Agnvs, da Lidio Carraro, é um vinho jovem, mas de grande valor no paladar

Caule de platano segura o parreiral

Lidio Carraro: qualidade rigorosa na produção e ótimo resultado

Anúncios

Fim de ano repleto de espumantes

Posted in Brasileiros, Franceses on 13/12/2009 by André Muricy

Em uma boa festa não pode faltar um bom espumante. Bem gelado, borbulhante e perigoso, como é toda forma de sair do real. Ainda bem que há diferentes opções para todos os gostos e bolsos. Brut para que prefere mais seco ou demi-sec para que encara um pouco doce. Eu gosto do brut, nada muito doce é legal. O amargo tem seu valor, até para sentir a diferença e poder escolher com conhecimento de causa.

Pelo preço e sabor, o Salton acaba logo. Compre muitas garrafas

Se você quiser um espumante bem barato, mas que não deixa mesmo nada a desejar pode optar pelo brasileiro Salton, apenas R$ 18,00, com 11,5% de álcool e feito com as uvas Chardonnay e Riesling. Compre muitas garrafas porque acaba rapidinho.

Esse bonito espumante leva você para todos os caminhos

Subindo um pouco de preço, vamos para a França. De lá encontrei o Pierlant (só para deixar claro não fui lá, ainda. Hehe). Ao custo de R$ 27,00 e com só 11% de teor alcoólico, essa bebida francesa (eu havia escrito ‘esse francês’. Melhor não. Hehe) se mostrou ideal para uma noite quente. É uma ótima pedida.

Uma bebida para as melhores horas

Voltando ao Brasil, sugiro uma fantástica Chandon Reserve Brut (Chardonnay, Pinot Noir e Riesling Itálico) ou Brut Rosé. Sim, é uma bebida brasileira “elaborada e engarrafada na origem pela Casa Chandon do Brasil, fundada em 1973 pela Maison Moët & Chandon, França”.  O preço não passa de R$ 45,00 e está de bom tamanho para comemorar um momento e com quem a gente realmente gosta.

Esse é um dos mais cobiçados entre os espumantes

Uma dica importante: bebendo ou não, pegue um táxi. Você não se estressa com engarrafamento, estacionamento, flanelinha e ainda pode beber o quanto quiser (só não vá dar vexame!). Se dê o prazer de não dirigir. É mais seguro.

É isso, aproveitem para compartir a diversão e as boas razões. Um bom 2010 para todos.

Chandon Passion vai esquentar dezembro

Posted in Brasileiros, Vinhos intensos on 20/11/2009 by André Muricy

Chandon Rosé demi-sec quebra os quadrados mais fortes

O último mês do ano é sempre cheio de comidas, bebidas e ilusões. Tem sempre gente que se empolga demais em busca de uma loucura qualquer que dê algum sentido àquele momento. Quem precisar de uma tacinha para se animar pode se entregar a uma gelada Chandon Passion, feita com as uvas Malvasia Bianca, Moscato Canelli e Pinot Noir. Apesar de mais doce do que devia (talvez por isso “pegue” logo), cada gole pede outro, numa escala de tempo cada vez menor. Com 11,8% de álcool, esse espumante Chandon de R$ 41,00 é a interseção entre as festas institucionais e as do inferno. É só mergulhar.

The last month of year is always with much foods, drinks and illusions. There is people happy a lot looking for any craziness that makes sense for any moment. Who to need a little glass of wine for be happy can give yourself a Chandon Passion, made with grapes Malvasia Bianca, Moscato Canelli e Pinot Noir. In spite of more sweet than necessary (maybe thats why get fire quickly), each sip of wants another on a scale less and less time. With 11,8% of alcohol, this drink Chandon of U$ 25,00 it is a good way between the parties and the institutional hell. It’s just jump on.

Miolo Gamay é a cara do Brasil

Posted in Brasileiros on 19/11/2009 by André Muricy
Miolo Gamay

Esse Miolo tem bom gosto até no rótulo

Uma grata surpresa foi esse lançamento da brasileira Miolo, com a uva Gamay. Com 12% de álcool, este vinho, mesmo sendo tinto deve ser tomado na temperatura de 10 a 12Cº. Leve, jovial e muito simpático este Miolo chama a atenção pelo bom gosto do colorido de seu rótulo, que reflete a tropicalidade de seu país de origem. Ao preço de R$ 21,00, ele combina bem quando a gente está com o orçamento apertado, mas não quer abrir mão de um vinho diário.

Elegance é um brasileiro de bom gosto

Posted in Brasileiros on 10/08/2009 by André Muricy

 

Elegance realça a brasilidade em cada gole

Elegance realça a brasilidade em cada gole

Uma grata surpresa vem do Rio Grande do Sul, mais precisamente da Casa Valduga. Com o preço de R$ 19,00, o Elegance traz a uva Cabernet Sauvignon em excelente forma. Por ser meio seco, este brasileiro apresenta um leve sabor doce no fim e é ideal para quem quer começar no universo vinícola. Com 12,5% de álcool, o Elegance safra 2008 tem bom gosto até no rótulo. Merece atenção.

O sabor temina um pouquinho doce e é ideal para beber muitas garrafas

O sabor temina um pouquinho doce e é ideal para beber muitas garrafas

Finca El Portillo, um argentino com crédito

Posted in Brasileiros on 03/03/2009 by André Muricy
Excelente sabor e consistência

Excelente sabor e consistência

De cor bastante límpida, o Finca El Portillo foi uma ótima recomendação de um amigo. Seu sabor sutil, vai fazer qualquer ‘enochato’ admitir que os brancos podem ser tão atraentes quanto os tintos.

Os 13% de graduação alcoólica só começam a aparecer no fim da garrafa, exatamente para deixar você bem mais animado. A uva Sauvignon Blanc se apresenta com graciosidade no paladar, combina bem com uma comida leve e comprovou uma teoria (preconceituosa) que já tinha em mente: os argentinos não são tão ruins assim.

Salton Classic branco é bom e barato

Posted in Brasileiros on 03/03/2009 by André Muricy

 

Este brasileiro cai bem quando a verba é pequena

Este brasileiro cai bem quando a verba é pequena

De volta aos vinhos brasileiros, tive uma grata surpresa quando provei o Salton Classic. Apesar de não ser nenhuma preciosidade, por apenas R$ 16,00 você pode tomar um vinho que se encaixa muito bem naqueles dias em que estamos mais econômicos

A sua uva Chardonnay provoca apenas 11,5% de teor alcoólico. Bem gelado, ele apresenta um certo sabor levemente adocicado no final e é bastante agradável. É  mais um vinho brasileiro que merece atenção.