Archive for the Vinhos intensos Category

Emiliana: além de vinhos orgânicos, biodinâmicos

Posted in Chilenos, Vinhos brancos, Vinhos intensos with tags , , , , , , , , , , , on 09/03/2013 by André Muricy
IMG_4176

Ambiente rústico não esconde bucolismo do lugar

Fundada em 1986, a Emiliana foi a primeira vinícola do Chile a conseguir a certificação ambiental 14001.

Fundada em 1986, a Emiliana foi a primeira vinícola do Chile a conseguir a certificação ambiental 14001

A agricultura orgânica não é uma novidade. Plantar, colher e produzir  apenas com ingredientes naturais, sem o uso de aditivos químicos, é uma tendência que tem conquistado muitos consumidores, preocupados em manter uma alimentação saudável. Além dessa filosofia, a Vinícola Emiliana também utiliza critérios biodinâmicos. Ou seja, durante a produção de seus vinhos e azeites, obedece a um rigoroso calendário baseado no equilíbrio do sol, da lua e dos planetas.

É, existe isso mesmo. Os produtores acreditam que o ciclo magnético interfere na fertilidade do solo e, consequentemente, na qualidade dos vinhos. Essa teoria, criada pelo filósofo austro-húngaro Rudolf Steiner (1861-1925), considera a Terra um ser vivo e que possui nutrientes naturais,  capazes de oferecer exatamente o que a planta precisa.

A limpidez dos vinhos brancos já revela o agradável sabor nos aguarda

A limpidez dos vinhos brancos já revela o agradável sabor que nos aguarda

Se para se fazer um bom vinho é necessário seguir regras e muita pesquisa, na chilena Emiliana, eles se superam na forma sustentável de produção, pois usam energia alternativa, reciclam os resíduos sólidos e líquidos, as garrafas levam 14% a menos de vidro e ainda neutralizam o carbono. O resultado de tanta preocupação com a qualidade não poderia ser outro: vinhos cheios de vida e personalidade. Critérios e teorias à parte, o bom mesmo foi que provamos quatro rótulos e pudemos comparar sabores e cheiros.

100% Sauvignon Blanc, Safra 2011 e uma leveza que impressiona e agrada

Vinho Novas 100% Sauvignon Blanc, Safra 2011 e uma leveza que impressiona e agrada. Lembrou frutas cítricas com um toque suave de pimenta branca

Suavidade e equilíbro imperam nessa vinho que  tem aroma elegante de damasco e notas suaves de jasmim

Signos de Origem: suavidade e equilíbrio imperam nesse vinho que tem aroma elegante de damasco e notas distantes de jasmim

Mais robusto com com forte evidência dos taninos, resultado da mistura das castas Syrah 38%, Carménère 27%, Merlot 21%, Cabernet Sauvignon 12%,  Mourvedre 1% e  Petit Verdot 1%

Coyam: mais robusto e com forte evidência dos taninos. Resultado da mistura das castas Syrah 38%, Carménère 27%, Merlot 21%, Cabernet Sauvignon 12%, Mourvedre 1% e Petit Verdot 1%

O Novas tinto mistura a Carménère com a Cabernet Sauvignon e lembra frutas maduras com um leve toque de pimenta doce

Novas: tinto caprichado que mistura a Carménère com a Cabernet Sauvignon e lembra frutas maduras com um leve toque de pimenta doce

Anúncios

Paul Bur, um exercício especial para o paladar

Posted in Franceses, Vinhos intensos on 13/03/2011 by André Muricy

Paul Bur é uma ótima escolha para uma noite quente

À primeira vista, o Paul Bur não impressiona muito, pois o rótulo é meio tradicional e um tanto clássico demais. Porém, o contato visual na taça já reflete o que ele realmente proporciona. Com uma cor quase dourada, esse espumante francês brut é uma delícia. O sabor levemente cítrico traz um sabor sutilmente leve e lembra – bem de longe – o doce das uvas. Ao preço de R$ 40,00 e com teor de álcool de apenas 11%, o Paul Bur é uma excelente escolha para um jantar regado a frutos do mar. Vale repetir.

Leyda 2002, uma ebulição de sabores

Posted in Chilenos, Vinhos intensos on 12/04/2010 by André Muricy

O Leyda 2002 Syrah cresce em um decanter

Belo e provocante, o Leyda Syrah é um vinho tão bom que precisa ser compartido em grandes momentos com aqueles que também valorizam uma boa bebida. Sutilmente carvalhado, levemente frutado e produzido na safra 2002, ele é um vinho maduro que cresce depois de respirar em um decanter (aliás, acho bem legal esse instrumento para vinhos um pouco mais velhos). Com 13,5% de teor alcoólico e um investimento de R$ 90,00, este chileno tem um controle rigoroso no plantio da fruta no Vale do Colchagua. A pouca produção o deixa ainda mais especial. Para uma celebração menos rotineira, ele é fantástico.

La Linda, valoriza o que é bom e belo

Posted in Argentinos, Vinhos intensos on 24/02/2010 by André Muricy

Com ótima pedida com uvas 100% TempranilloO nome deste vinho deve ter sido inspirado em uma bela mulher, isso porque o La Linda, de uvas 100% tempranillo, é uma delícia. Ele não apresenta sabor demasiado de carvalho e nem o gosto forte dos taninos. Pelo contrário, o La Linda safra 2006 deixa na boca aromas aveludados e leves. Com 13,5% de álcool e ao custo de R$ 42,00, esse argentino é uma ótima sugestão para um encontro intenso a dois. Aproveite a noite sem moderação.

Blog, um vinho para navegar em cada gota

Posted in Portugueses, Vinhos intensos on 18/01/2010 by André Muricy

Este vinho português é intenso desde o rótulo

Com uma garrafa muito elegante, de rótulo simples e muito forte, o Blog é um vinho português de excelente sabor. Com 14% de álcool, esse alentejano produzido em 2006 é para quem gosta de vinhos robustos, suntuosos e encorpados. O investimento de R$ 120,00 é compensado em cada gole. Moderno e bonito – com o perdão para o trocadilho –, com esse Blog, muitos comentários vão rolar.

Chandon Passion vai esquentar dezembro

Posted in Brasileiros, Vinhos intensos on 20/11/2009 by André Muricy

Chandon Rosé demi-sec quebra os quadrados mais fortes

O último mês do ano é sempre cheio de comidas, bebidas e ilusões. Tem sempre gente que se empolga demais em busca de uma loucura qualquer que dê algum sentido àquele momento. Quem precisar de uma tacinha para se animar pode se entregar a uma gelada Chandon Passion, feita com as uvas Malvasia Bianca, Moscato Canelli e Pinot Noir. Apesar de mais doce do que devia (talvez por isso “pegue” logo), cada gole pede outro, numa escala de tempo cada vez menor. Com 11,8% de álcool, esse espumante Chandon de R$ 41,00 é a interseção entre as festas institucionais e as do inferno. É só mergulhar.

The last month of year is always with much foods, drinks and illusions. There is people happy a lot looking for any craziness that makes sense for any moment. Who to need a little glass of wine for be happy can give yourself a Chandon Passion, made with grapes Malvasia Bianca, Moscato Canelli e Pinot Noir. In spite of more sweet than necessary (maybe thats why get fire quickly), each sip of wants another on a scale less and less time. With 11,8% of alcohol, this drink Chandon of U$ 25,00 it is a good way between the parties and the institutional hell. It’s just jump on.

Santa Alicia foi uma boa descoberta

Posted in Vinhos intensos on 04/11/2009 by André Muricy
Santa Alicia

O Santa Alicia é leve e tem um ótimo preço

Já tinha lido em algum lugar que o Valle Del Maipo, no Chile, produz excelentes uvas. A confirmação veio quando conheci o Santa Alicia Cabernet Sauvignon 2006, um vinho simples e com de 13,5% de teor alcoólico. Ao preço médio de R$ 20,00, ele é ideal para aqueles dias em que a gente quer tomar um vinhozinho sem gastar muito.